terça-feira, 22 de abril de 2014

só entendo algumas coisas quando sinto

como hoje, esse frio...

no inverno é assim: dedos e lábios roxos. Acho que meu coração não bate(pulsa) no frio ele treme...

como hoje, nesse frio...

claro que podem pensar no meu exagero...

que posso fazer, é bom pensar...

o meu pensamento ficou congelado: no mesmo lugar, na mesma Palavra.

a Palavra muda

a Palavra Muda!

mas parecia que tinha um sol...

eu acho que senti seu calor...

mas veio um vento traiçoeiro, sem aviso...

me fez fechar a porta e a janela...

vou esperar o sol invadir-me por alguma fresta...




Um comentário:

A Marques disse...

Forte...! Profundo...! Mas que revela um quê de esperança que se faz presente pelo "aviso de uma fresta". É quando a gente percebe que o sol está alí... a nossa espera!!!

Postar um comentário