quarta-feira, 9 de abril de 2014

acabou o choro
uma constatação.
assim, seca mesmo.
talvez fosse mesmo o momento certo.
engolir o choro. engolir-se.
não há sensações a traduzir.
acabou.
naquela hora, não havia entendimento...
e não faltou sentimento, entrega e reflexão.
a palavra não se fez liquida. não se foi também como incenso a subir e a se dissipar no ar...
mas houve um congestionamento interior...
sem desenhar as emoções...
não havia necessidade ou compromisso algum nisso.
acabou o choro.
e
como fruta madura, da vez, de cair...sem ser apanhada...
que vai passar do ponto... o vento soprou a folha. a folha cobriu a fruta.
e
não valeu a semente, nem a flor...


Um comentário:

A Marques disse...

Um texto de profundidade e cheio de pontos que fazem pensar.../ Há nele, algo que remete um ar de pungência ... algo comflitante!!!

Muitos desenhos se formam no pensamento,...



É um texto bem reflexivo!!!


Uma boa tarde.

Postar um comentário