terça-feira, 27 de junho de 2017

Lágrima



Carrega o peso da memória de todos os sentidos
Misturados nesse peito aflito, muitas vezes em convulsão

Tem tanta palavra pra te cantar
Liberdade era o tempo pra mastigar
Libertar te doi...
Preciso cuidar de secar os olhos
E deitar nas asas dos sonhos




 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

... da paz





O mundo empurra a vida para a impaciência

E assim... aos trancos... a gente se atropela...

Na pressa, procura-se as frestas

Por onde, discretamente, os sonhos nascem

Não te olho, se esse olhar te ferir...

Há sempre um querer que movimenta

e dá coragem... 

mesmo para a espera

inocente... de compreender a vida

e a noção de viver... de caminhar

de.vagar, quando todos correm



sexta-feira, 23 de junho de 2017



Os olhos estão embriagados desse tempo...
Como  janelas que se abrem na mesma estação...

Dia e noite... faça inverno ou verão

Seu presente é viver amando

E, quando sóbrios, se sentem pertencidos

A todas elas, o tempo todo...

E nesse momento de docilidade, saborear o fruto do amanhã

E bordar os cílios de duvidas e encantamentos que, 

num piscar, dá certeza da vida que acontece hoje e

amanhã virou memória

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Impronunciável

Palavra quando dorme, no silêncio de estrelas
Palavra quando rasgada fraturando o peito
Palavra caída, meio sem jeito
Palavra tímida ou em desespero
Palavra ainda não inventada ou sem sentido
Palavra despida de sonhos, quereres ou mansidão
Palavra que faz doer no outro todo o mundo criado
Palavra que falta
Palavra sem nome
Palavra muda
... ainda semente, que sonha o fruto
ainda indecifrável!

segunda-feira, 19 de junho de 2017


como nosso olhar sobre o outro pode estar equivocado...

era uma flor quebrada, vivia sempre úmida demais, já quase apodrecendo seus vitais sentidos
ainda ao longe uma réstia da luz do sol
a luz caminhava, suponho, que à força do vento, para além de mim
como posso chegar até você, sem ir...
eu quis usar um vestido de flores
para quando só veem as flores
nos meus olhos, um mundo a gritar, sem palavras
essa luz que vai... vai... um dia chega... um dia fica...
um dia apaga
para alem dos olhos, a palavra que precisa ser dita quer ser ouvida.
para quando o melhor instrumento para comunicar o sentimento
é a escuta do coração.