sexta-feira, 11 de abril de 2014

*recolhendo as folhas



E ainda é preciso dizer “te amo”... E é preciso mostrar um peito...(despido do medo)...E ainda preciso cantar que estou aqui. Que és em mim. E que o amor não é satisfeito, seja como for...É estranho esse jeito menino-grão de amor que vive a brotar, nos segundos e nos detalhes de tanto querer. As folhas secam e caem. E ele, a renovar-se, desesperadamente, para não se perder de viver... Enfrentando tempestades.




(rose rocha-recolhendo as folhas)

Um comentário:

A Marques disse...

Algo dentro de nós sempre se faz presente no sentido de levarnos a acreditar e a persistir em nossas buscas. É verdade que, a vida, tem suas estações assim como as estações do ano... Vivemos primaveras, verões... nos esquecemos as vezes que temos de passar por "outonos" e "invernos"... E nesta hora somos meio que, impelidos a (re)aprender a juntar as folhas...

Quantos sonhos já abandonamos na vida?
Quantos deles percebemos ilusórios?
Quantas vezes paramos no meio sem saber se vai, ou se fica...?
Quantas mudanças de planos?
Quantos sentimentos?
Desistir?
Seguir?
Ficar?
Voltar para trás?

"SEGUIR!!!"


De alguma forma a vida ensina que devemos seguir em frente. Todos esses sentimentos acima, são experimentos comuns... e até importantes! São as estações... São as dúvidas... Hesitações que fazem parte da vida.

Mas apesar disso, no fundo, bem sabemos que são só estações... Primaveras e verões que se esvaem, dão lugar a outonos e invernos. Neste momento eles se resguardam depois de darem seus espetáculos...
... descansam, e recompõem-se pelos invernos da vida, para depois, voltarem novos e renovados em tudo. "Depois do inverno nascem as flores mais belas!"

Mas cada coisa precisa ser vivida comforme seu tempo.

Se hoje é dia de recolher as folhas...
É por preparo, afinal,... recolhemos as folhas antigas para dar lugar às novas que mais a frente virão! E elas virão.

Parabéns pelo seu texto!!! Está muito bonito!!!

Postar um comentário