terça-feira, 27 de junho de 2017

Lágrima



Carrega o peso da memória de todos os sentidos
Misturados nesse peito aflito, muitas vezes em convulsão

Tem tanta palavra pra te cantar
Liberdade era o tempo pra mastigar
Libertar te doi...
Preciso cuidar de secar os olhos
E deitar nas asas dos sonhos




 

Um comentário:

Anônimo disse...

...e se não fossem os sonhos para atenuar os gumes da vida? Sonhos que fazem a gente viajar, a ver a vida com mais leveza, com mais sensibilidade,...

Belo texto! Boa noite!

A Marques

Postar um comentário