quinta-feira, 28 de novembro de 2013

de mudança

carrego silêncios e rumores
para dentro da caixa
uns apertos...
e "quase" cabe
tudo lá
na poeira das horas tardias,
assentam ideias de cor e peso
e cheiro de sonhos...
é lá que vivo
espiando pela fresta
pouca coisa que interessa
depois que engavetaram os sonhos

3 comentários:

Anônimo disse...

penso que me "engavetei" junto com os sonhos... será que alguém um dia vai achar e abrir essa caixa?

Anônimo disse...

desculpa, esqueci de assinar meus comentários. rsrs
Abraço.
Maria.

A Marques disse...

É sempre profunda e bela a tua forma de "dar forma" às palavras e dos sentimentos que delas nascem... e, em se tratando de "cheiro de sonhos..." que o vento traz das coisas e lugares tantos,... há sempre algo que o coração "entre as frestas" espera e escolhe em meio aos turbilhões da vida, exatamente porque, só ele "o coração" sabe do sonho que o envolve no desejo de tocar a realidade que o move. // Boa tarde!!!

Postar um comentário