quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Inconsciência


trouxe uma vaga lembrança do que resta das coisas extintas da vez...
acabou de perder a memória do sexto sentido e se deixou no im_pulso cortado
há palavras inventadas à cores, mas já não tenho a visão...
um espaço onde caberia sutilezas o reticente é o abandono
e nunca mais é de surpresa... já fixou residência.
na pedra bruta do peito, tentam me lapidar, não sentem a mesma dor...
na ilusão do dia.mante, desgastam a vida dos outros...
apropriam-se indevidamente do que pensam ser um tesouro
não vêem pedra, mas tratam como se pedra fosse

Um comentário:

A Marques disse...

Profundo!!! Uma reticência de abandono... e não de surpresa... Um texto muito bonito embora triste..., como uma expressão, talvez, que põe à fora o incômodo de uma incompreensão: "não vêem pedra, mas tratam como se pedra fosse". / Trabalhas bem...!

Postar um comentário