sexta-feira, 19 de maio de 2017

são meus olhos...

na contagem do tempo
na paisagem, na janela e aqui dentro
um olhar mais quieto, desajeitado às vezes
mas, único... são meus olhos, quando me olham.

já desconfiei se eram mesmo meus olhares
mas só às vezes, quando sinto saudades
e quando não me "acho"...

meus olhos, que ás vezes se iludem, me desafiam sempre
aí eu tenho que olhar de novo mantendo a permanecia
das descobertas que ele provoca sob a luz do real
sobre os fascínios dos quereres ininterruptos
a luz precisa ser direcionada nessa realidade do existir





Um comentário:

Anônimo disse...

...interessante! É um exercício de conhecer-se a si mesmo, ou de, não perder-se da própria vista. Essa viagem interior é sempre repleta de relevos e paisagens diversas..., quase como um teste de sobrevivência; em cada pedra há sempre a liberdade e a oportunidade de granjearmos alguma experiência nessa dura tarefa de conhecer-se a si. Boa postagem! Uma boa noite!


A Marques

Postar um comentário