segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

fim e começo


... e eu desejo, de todo coração, encurtar as distâncias-
as geográficas e as do coração!

... e eu te peço, abrande os sentires, caso tragam muito mais dor que alegrias

... e onde fores, leve-me, leve e sóbria, doce e calma, em pensamento, em oração, no coração

... preciso de mãos que afaguem e braços que me abracem

... preciso de olhos que me caibam

... preciso fazer parte, eu, inteira...

A palavra quer resumir muitos pensamentos e incontáveis sentimentos. Mas ela, só, não diz muito...

Então meu desejo é que se articulem: os pensamentos, as emoções, todos os sentires... que se mostrem como são! E que sejam inteiros na sua forma... que não imitem, que não ecoem... o que não são.

E que saibamos encurtar as distâncias do coração. Que possamos estar junto, de quem está dentro!

2 comentários:

Anônimo disse...

Seu poetar fala do que vai no coração de todos nós. Lindo, lindo!
Abraço.
Maria.

Anônimo disse...

Essa imagem...! Muito legal! O texto, o sentir a flor da pele!


Boa noite!
A Marques

Postar um comentário