segunda-feira, 3 de julho de 2017

Toda prece é sentida

Abri os olhos...
Olhei tão profundamente
E lá eu estava, dentro da prece
Fechei os olhos...
Como se algo partisse meu peito...
A oração se desenhou no meu rosto...
Lavou minhas mãos, os olhos, os sonhos
O coração quis ser o abraço mais doce
O silêncio vai conduzir a música dessa hora
Toda prece é sentida
A beleza que transforma e torna sagrado
Cada ato, pensamento e a palavra de vida.



Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom! Belo texto/reflexão! De fato, a prece, a oração são, antes de mais nada, um reencontro consigo... É o momento em que nos abrimos com a maior sinceridade possível, onde nos desvestimos de nossas vaidades, onde nos reconhecemos pequenos e necessitados, onde nos assumimos num verdadeiro espírito de contrição e desejo de mudança perante o autor da existência que, sempre se dispõe a nos perdoar e nos auxiliar, contanto que, contemos e o busquemos em espírito e verdade.


Boa noite!
A Marques

Postar um comentário