segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ousa (o)dia

Quando se abre à alegria...
Se joga no meu horizonte e desperta-me para um sonho antigo de felicidade!

Perdão Você! (Ja avisava a música): Não me ensina a morrer/Que eu não quero...

Vou ler todos os livros, ouvir todas as músicas... e mesmo assim,  em meus pensamentos haverá intruso!

Vou mergulhar na ideia,  no papel dos rascunhos e no grafite...vou comprar borrachas... vou limitar à tinta, os erros!

Mesmo assim vão ultrapassar desejos e quereres maiores à margem de mim...

Não sonho o arco-íris em tons de cinza. ..
As reticências não protegem meu coração!  O que transborda me leva...
Não sei para onde vai. Me embriago desta viagem de ida.
Perdão!  Não sei se perdi meu coração.  Se o encontrou, a ti pertence.  Não me devolva. Enquanto estiver contigo há vida!


Era sobre sonhos que me realizam na minha humanidade.  Me falam das dores de uma realidade que não sonhei construir, mas ensinam o que vale a pena, mesmo que doa... e me lembra que, muitas vezes, o impulso revela a dor no peito! Que só é possível conte-lo...enquanto cabe lá dentro... que quando transborda... é tarde demais!


Um comentário:

A Marques disse...

Texto de conteúdo profundo e que traz à mente, pensamentos e reflexões diversas... Um belo trabalho!!!

Postar um comentário